Série One Day at a Time

Dica de série imperdível: One Day at a Time

Quando o assunto é engajamento social e político, a maioria das produções audiovisuais opta por uma ou duas pautas a serem abordadas, muitas vezes para evitar o risco (real) de se criar algo forçado ou raso. São poucas as obras que conseguem trazer múltiplos assuntos relevantes de forma orgânica e bem trabalhada. One Day at a Time (Netflix, 2017) é uma delas.

A série é um reboot da sitcom de mesmo nome exibida entre 1975 e 1984, que relatava o dia-a-dia de uma mãe solteira (vivida por Bonnie Franklin) criando suas duas filhas (Mackenzie Phillips e Valerie Bertinelli) em Indianápolis. A nova versão transformou a família em cubano-americana, com Justina Machado (Six Feet Under) como Penelope, a mãe, Isabella Gomez e Todd Grinnell como os filhos e Rita Moreno (a Anita de West Side Story e ganhadora dos EGOT) como a “abuelita” Lydia.

Série One Day at a Time
Os elencos da série original e do reboot, respectivamente

Continue reading “Dica de série imperdível: One Day at a Time”

Glossário LGBT+, entenda e nos ajude a entender

Não se esqueça, nossos glossário sempre serão corrigidos/atualizados de acordo com o que aprendemos, nos deixe suas considerações nos comentários.

Existem muitas nomenclaturas no mundo LGBT+ e nem todas são familiares. Por isso, resolvi criar nosso segundo glossário (o primeiro), para que possa ajudar a todos os que tenham interesse em saber mais.

De acordo com o site www.lgbt.pt/, a sigla LGBT possui o seguinte significado:

“Antigamente como GLS (Gays, Lésbicas e simpatizantes) e atualmente como LGBT, a sigla indicada refere-se a: Lésbicas, Gays, Bissexuais, Transgêneros, Transexuais e Simpatizantes. Como a própria sigla e o seu conceito indicam não é necessário ter traços ou características homossexuais para se identificar dentro do conceito LGBT, os simpatizantes também são englobados, visto que prestam o seu apoio  a toda esta comunidade.”

ORIENTAÇÃO SEXUAL – diz respeito a atração que sentimos por outras pessoas. Essa atração pode ou não ser por indivíduos do mesmo sexo. Orientação sexual NÃO É UMA ESCOLHA, nós nascemos com ela.

 

HETEROSSEXUAL – sente atração apenas por pessoas do mesmo sexo.  

 

HOMOSSEXUAL – sente atração por pessoas do mesmo sexo. Os termos GAY e LÉSBICA são usados para definir homens e mulheres homossexuais.  

 

BISEXUAL – uma pessoa bi sente atração tanto por homens quanto por mulheres.

 

PANSEXUAL – a pansexualidade representa pessoas que se relacionam (de forma sexual e/ou amorosa) com qualquer pessoa, independente do sexo ou gênero dela, ou seja, se atraem por homens, mulheres, trans, interssexuais, etc. Também é chamado de trissexualidade, polissexualidade ou omnissexualidade.

 

POLISEXUAL – é que sente atração por várias pessoas, de vários gêneros, mas não por todos.

 

ASSEXUAL – quem se identifica dessa forma não sente atração sexual por pessoa alguma. Ela pode se relacionar emocionalmente com alguém, namorar, casar, mas sem interesse pela prática sexual.

 

DEMISEXUAL – as pessoas demisexuais são passiveis a sentir atração sexual, mas apenas quando existe uma forte relação emocional entre ela e a pessoa com a qual está envolvida. Existe também a graysexual (zona cinza), grupo ao qual pertence as pessoas que transitam entre a demi e a assexualidade. Entenda, essa transição não é feita por escolha.

reprodução/Diário Paraíba

IDENTIDADE DE GÊNERO – diz respeito à forma como você se identifica com o seu corpo e o sexo com o qual você nasceu. Podemos nos identificar como homem, mulher, ambas ou nenhuma das opções.

 

GÊNERO – socialmente definido como sendo binário (feminino, masculino), mas sabemos agora que pode variar de acordo com a identidade de cada um.

 

TRANSGÊNERO – é quem tem uma identidade de gênero diferente daquele atribuída ao sexo com o qual nasceu. A orientação sexual independe da transgeneridade, podendo um transgênero ser hetero, gay, pan, bi, etc… Travestis e Drag queens são considerados neste grupo.

 

TRANSEXUAL – quem faz mudança de sexo para se adequar ao gênero com o qual realmente se identifica.

 

GÉNERO BINÁRIO – é a divisão entre dois gêneros: feminino e masculino

 

GENDERQUEER (GÊNERO NÃO-BINÁRIO) – pessoas que não se identificam como homem ou mulher, ou transitam entre ambos os gêneros ou, até mesmo, são uma junção de ambos.

 

BIGÊNERO – Se apresenta com os gêneros feminino e masculino ao mesmo tempo.

 

CISGENERO – é quem se identifica com o gênero com qual o qual nasceu (homem cis e mulher cis).

 

GÊNERO FLUIDO – pessoas que mudam de gênero de acordo com o que se sentirem melhor no momento.

 

GÊNERO NÃO-CONFORMISTA – pessoas cuja aparência e/ou comportamento não condiz com o que a sociedade espera de determinado gênero. Como os chamados transformistas e garotas masculinas.

 

AGÊNERO – ausência de gênero. Quem usa esse termo não se encaixa nas definições de gênero binário ou não aceita a divisão e o conceito de gênero.

 

Há muitos outros termos usados nas rodas de conversas e nos textos que lemos pela internet.

 

SEXO BIOLÓGICO – forma de se identificar a genitália de alguém.

 

PAPEL SOCIAL DE GÊNERO – é o conjunto de expectativas e atitudes esperadas de cada gênero específico.

 

HOMOFOBIA – é a rejeição e aversão aos homossexuais. Que pratica homofobia é o chamado homofóbico.

 

HETEROFOBIA – as manas aqui do Elas são unânimes em dizer que isso não existe.

 

CROSS-DRESSING –  é um termo que se refere a pessoas que vestem roupa ou usam objetos associados ao sexo oposto.

 

Nossos glossários são eternos fontes de aprendizagem e mudanças. Portanto, sempre que encontrarmos confiança para falar de algum termo em específicos, faremos um texto unicamente para esse termo e conversaremos a fundo sobre ele.  Nossos leitores são convidados a nos ajudar, corrigir e até a enviarem seus próprios textos para publicação aqui no blog.

 

Fontes

www.lgbt.pt

www.memorialgbt.com

www.lgbtbrasil.com.br

www.demisexuality.org