Carta de(s)amor

Carta de(s)amor

Talvez isso me classifique como uma pessoa fraca ou tola. Se for assim, tudo bem. Mas a verdade é que por muito tempo escondi meus sentimentos por não me sentir capaz de revelá-los.

Não me abri com qualquer pessoa, esse tempo todo. Pode ser que alguém até desconfiasse, mas sei que escondi bem, já que certeza ninguém nunca apresentou.

Em parte guardei para mim por me contentar com a situação. Amar, sem precisar de mais que isso. Mas confesso que também o fiz por não conseguir tirar do meu coração o desejo e a esperança de que um dia esse amor seria recíproco e tudo aconteceria naturalmente.

Continue reading “Carta de(s)amor”
Amor

Amor é só um sentimento

O nosso grande erro é idealizar o amor. E isso não só diminui a gente perante o amor, como diminui o amor perante a gente.

Temos a mania de achar que o amor se basta e que ele é uma espécie de elemento inigualável em todo o universo. Que o amor é uma divindade que não apenas deve ser cultuada, como que também exige uma série de dogmas a serem seguidos.

Continue reading “Amor é só um sentimento”
Drabble: Angústia

Drabble: Angústia

Quando ainda era muito pequena, aprendera nos livros uma palavra que passou a usar para todos os sentimentos que não sabia explicar: angústia. Mesmo com a descoberta, às vezes ela ainda não se fazia entender. Afinal de contas, não deixava de ser um termo avançado para sua idade, e seus coleguinhas não eram ratos de biblioteca como ela para conhecê-lo.

Demorou a perceber que, no entanto, se enganara por todo esse tempo. Angústia não era um único nome para todos os sentimentos inexplicáveis. E sim o que vivenciava ao não conseguir entender as emoções que cresciam nela, sem explicação.

Continue reading “Drabble: Angústia”

Microcosmos

Drabble: Microcosmos

Depois de um longo período explorando o cosmos, chegara a hora de voltar à Terra. O prazer de saltar entre corpos celestes já não mais abafava a saudade de casa.

Tirou o capacete ainda no quintal e colocou-o debaixo do braço para abrir a porta de entrada. Limpou o pó de estrelas dos pés antes de entrar. A mãe não ia gostar se fizesse sujeira.

Mesmo recebida com um abraço quente como uma supernova e um sorriso brilhante como um sol, não pôde evitar sentir certa melancolia. Gostava muito do espaço, afinal. Mas tudo bem: amanhã ela voltaria para lá.

Continue reading “Drabble: Microcosmos”

Série One Day at a Time

Dica de série imperdível: One Day at a Time

Quando o assunto é engajamento social e político, a maioria das produções audiovisuais opta por uma ou duas pautas a serem abordadas, muitas vezes para evitar o risco (real) de se criar algo forçado ou raso. São poucas as obras que conseguem trazer múltiplos assuntos relevantes de forma orgânica e bem trabalhada. One Day at a Time (Netflix, 2017) é uma delas.

A série é um reboot da sitcom de mesmo nome exibida entre 1975 e 1984, que relatava o dia-a-dia de uma mãe solteira (vivida por Bonnie Franklin) criando suas duas filhas (Mackenzie Phillips e Valerie Bertinelli) em Indianápolis. A nova versão transformou a família em cubano-americana, com Justina Machado (Six Feet Under) como Penelope, a mãe, Isabella Gomez e Todd Grinnell como os filhos e Rita Moreno (a Anita de West Side Story e ganhadora dos EGOT) como a “abuelita” Lydia.

Série One Day at a Time
Os elencos da série original e do reboot, respectivamente

Continue reading “Dica de série imperdível: One Day at a Time”

O que chamou nossa atenção em 2017: 4 séries, 1 filme e 1 bônus

2017 foi um ano marcante para o entretenimento, especialmente no que diz respeito às mulheres. Por um lado, inúmeras denúncias de casos de assédio, violência sexual e machismo escancararam a face mais feia dessa indústria, ao mesmo tempo em que foram uma vitória da voz feminina, que começa a se fazer ouvir. Por outro, o protagonismo das mulheres teve destaque na mídia, com feitos históricos e grandes sucessos de público, crítica e premiações.

Alguns acontecimentos importantes e recordes (como Lady Bird, de Greta Gerwig, se tornando o filme mais bem avaliado da história do Rotten Tomatoes) estão na ótima retrospectiva do Mulher no Cinema. Inclusive, além do próprio site, fica a recomendação do post deles Os 10 melhores filmes de/sobre mulheres de 2017.

Para o último post do ano da coluna Culturarte, optamos por uma visão pessoal, e escolhemos algumas das produções que mais chamaram a nossa atenção ao longo dele. As indicações vêm com os nomes das autoras do blog que as fizeram. A última e o bônus são as minhas. Confira:

Continue reading “O que chamou nossa atenção em 2017: 4 séries, 1 filme e 1 bônus”

Mulheres Cabulosas da História

Mulheres Cabulosas da História retrata grandes figuras femininas do passado

A História como conhecemos foi escrita e protagonizada por homens brancos e poderosos. Ela menospreza e muitas vezes ignora por completo a participação feminina (e de membros de outras minorias) em eventos do passado, que na realidade é tão relevante quanto a masculina. Foi com isso em mente que as mulheres do Levante Popular da Juventude de Belo Horizonte idealizaram o projeto fotográfico Mulheres Cabulosas da História.

Surgido em fevereiro de 2016, o trabalho retrata mulheres importantes no processo histórico nacional e internacional, em releituras fotográficas feitas e posadas pelas próprias integrantes do Levante. Junto às fotografias, há ainda um texto informativo sobre quem foi a mulher retratada e também sobre a modelo que a encarna, “fazendo assim uma relação de que nós, inspiradas pelas trajetórias delas, damos continuidade à luta em prol de uma sociedade feminista e popular”, como explicam as integrantes do projeto.

Continue reading “Mulheres Cabulosas da História retrata grandes figuras femininas do passado”

Mudar mais uma vez

Mudar mais uma vez

Somos um blog em constante transformação. Já passamos por mudanças na equipe, na plataforma, no visual, nas colunas… No início do ano, inclusive, tivemos tudo isso de uma vez. E agora é momento de mudar novamente.

Desde que viemos para o WordPress, há quase 4 meses, temos usado este template, escolhido de forma até meio descuidada. Ele, no entanto, não atende as nossas necessidades, por vários motivos. Estamos mudando para um novo, pensado com mais cautela. E que deve ter bem mais a ver com nossa proposta, além de proporcionar uma melhor experiência para o visitante.

Aproveitando a oportunidade trazida pela reforma, vamos também botar ordem na casa. Tirar uma poeira daqui, rearranjar uns móveis de lá, colocar umas plantinhas pra dar vida ao lugar… Pequenas coisas que parecem simples, mas que ajudam a dar ânimo para nós, autoras, e que esperamos que possam também motivar vocês, leitores.

É por isso que colocamos o blog oficialmente em manutenção. Ele já estava parado há um tempinho, mas trazer esse caráter formal nos dá o empurrãozinho que precisávamos para tocar logo essa transformação. Voltaremos em breve. E, como toda mudança dá um pouco de medo, que o friozinho na barriga seja um motivo a mais para voltarmos ainda mais fortes. Até mais!

sociedade idolatra machistas

Dudu Camargo é a prova que nossa sociedade idolatra machistas

Antes de tudo, uma contextualização: no dia 18/06, foi ao ar uma edição do Programa Silvio Santos, com participação de Maisa e Dudu Camargo no Jogo das 3 Pistas. Na ocasião, o apresentador começou a fazer “brincadeiras”, dizendo que eles deveriam formar um casal, já que ambos estavam solteiros. Além de dizer que o rapaz não fazia seu tipo, a insistência de Silvio a levou a criticar o rapaz e chamá-lo de engessado. Durante o quadro, as brincadeiras e as provocações se seguiram, e ainda com o ingresso de Dudu em certo ponto.

sociedade idolatra machistas
Incentivado por Silvio, Dudu dançou em torno de Maisa para provocá-la (Imagem: reprodução/internet)

Continue reading “Dudu Camargo é a prova que nossa sociedade idolatra machistas”