O pesadelo

De repente me vi fazendo tudo certo
Escolhendo bem as palavras 
Os tons 
Os gestos

Os caminhos eram sempre retos
Sem buracos
Lombadas
Curvas
Descidas ou subidas
Nada de emoção ou surpresa

Os erros 
As falhas
As angústias do não sei
Os risos e os choros
De um tudo
De algumas coisas
E do nada
Eram apenas a sombra rala da imagem quase transparente de um horizonte inalcançável

Sufoquei.

Era a terra ou a era da perfeição?
Era um mundo sem Deus
Sem Cão
Sem as espertezas inocentes dos gatos
E os tropeços do homem

Éramos máquinas?

Assustei.

Enfim, acordei do pesadelo com minha angústia já denunciando o mundo real certificando-me de que minha vida é ainda é um verdadeiro jazz.

Dança morena

Foto: Ana Luiza Calmon

 

a morena sempre te esperou

sentada, feliz, sorridente

alongou os cabelos para te fazer feliz

todo o tempo do mundo valia a pena quando ela estava com você.

 

a morena sempre achou que você chegasse já

porque era tudo amor

e a saudade apertava.

 

mas a morena viu que você nunca chegaria

aquele amor virou mágoa

e a saudade apenas memória.

 

hoje a morena tem cachos

lindas ondas que moldam seu rosto

ela continua sorridente e alegre.

 

mas agora ela dança como nunca

movimenta seu corpo como dona de si própria

seus olhos abriram para o mundo.

 

Foto: Ana Luiza Calmon