Floresça

 

Foto: Ana Luiza Calmon

 

 

     Não quero lhe causar choque ou repulsa minha rosa. Acontece que estou colocando no lugar que pertencem as minhas pétalas. Veja bem, guarde seus espinhos, isso não é um ataque! Apenas lhe mostro um outro formato de flor, uma nova cor. Sou eu! Estou prestes a desabrochar por completo e quero uma terra para mim. Talvez não ela toda, mas um pedacinho que chamarei de meu (l)ar – assim respiro. Pode ser absurdo para você que sempre teve pétalas tão belas nessa rosa vermelha e esses espinhos longos e grossos, em retaguarda. Mas nem esse belo, essa força ou e nem essa paleta me refletem, rosa. Eu só quero ser a minha flor,  seja ela qual for. Girassol, Orquídea, Cravo, Cravina, Hortênsia. São tantas! Por que só uma, rosa? Podemos juntas ser um lindo jardim! Apenas aceite, é desse meu jeito que eu vou florescer.

Ana

Ana

Ana Luiza Calmon, 26 anos, é jornalista e produtora audiovisual. Apaixonada pelas histórias dos outros, pela dança e toda a poesia que toma forma no corpo. Capixaba de Vila Velha, precisa ver o mar todos os dias, andar de bike ou apenas andar. Encontra na escrita uma forma de sentir o mundo.
Ana

Últimos posts por Ana (exibir todos)

Comentários

comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *