Pregresso

Ai está ele de novo
Nem ao menos cheguei ao meu destino
E meu corpo já reage com demasiada euforia
A ultima vez? Trezentos e sessenta e cinco luas atrás.
Ainda suspiro com tais momentos

Uma simples chamada
Onomatopeia capaz de violar um cofre há muito trancado
Revelando segredos, relembrando carícias acompanhadas de olhares maliciosos

Aí está ele mais uma vez
Nem ao menos cheguei ao meu destino
E o vento frio da montanha já me trouxe seu cheiro

Consigo ver suas ondas
Estão na cor água marinha
Já faz dez minutos que estacionei
Não quero sair do carro
Não quero sentar à mesa
Não quero relembrar
Consigo ver seus lábios
Vermelhos

Aí está ele novamente
Aquele arrepio

Alessandra Lamunier

Alessandra Lamunier

Absolutamente amadora. Se existir um meio termo entre saber ou não fazer algo, eu estou nele. Contudo, sou cheia de ideias(ais) e, sabendo ou não a melhor forma de me expressar, fico feliz eu transmiti-las a quem interessar.
Alessandra Lamunier

Últimos posts por Alessandra Lamunier (exibir todos)

Comentários

comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *