Lotte Reiniger


Acho incrível como, não importa o ramo, sempre nos lembramos mais das contribuições dos homens do que das mulheres. Aprendemos na escola nomes de vários cientistas, compositores, romancistas e artistas, mas quantos deles eram mulheres? Quantas mulheres tiveram a honra de terem seus nomes mencionados em uma sala de aula do ensino médio junto com sua importância?
Eu só consigo me lembrar de três, mas não sei se o problema era específico da minha escola, ou com minha memória. Conversando com outras pessoas em vários outros lugares, incluindo países, não creio que seja o caso.

O ponto em que quero chegar é, essa é uma tendência que vejo acontecendo em praticamente todos os ramos, e com a animação não é diferente.

Charlotte “Lotte” Reiniger (1899 – 1981) foi uma grande animadora e fez grandes contribuições técnicas para o ramo. Walt Disney mesmo só conseguiu Branca de Neve e os Sete Anões (1937) graças a algumas das técnicas desenvolvidas por Lotte e seu marido. Uma delas foi sua técnica de utilizar camadas de vidro para poder dar o efeito de profundidade em suas obras.

Lotte Reinigier em sua mesa de trabalho. O mecanismo serve para ajustar e acionar a câmera localizada logo acima da mesa. Assim, foto a foto, Lotte animava suas silhuetas.

Aliás, contrária a crença popular, o mais antigo longa de animação não foi Branca de Neve, e sim As Aventuras do Príncipe Achmed (1926), produzido pela nossa querida Reiniger em um tempo em que ninguém realmente considerava a ideia e uma animação que durasse mais de 10 minutos e não servisse apenas para fazer o público rir.

Seu estilo de animação com silhuetas foi grandemente inspirado pela arte chinesa de teatro de sombras e seu amor pelo cinema. Enquanto a maioria dos filmes na época dependiam das expressões faciais para demonstrar emoções e ações, Reiniger utilizava-se apenas da linguagem corporal de seus personagens para passar as histórias de suas animações.

Frame do curta Däumelinchen.

Em vida, Lotte Reiniger produziu cerca de 40 animações em seu estilo único. Uma boa parte delas pode ser encontrada no youtube, inclusive o longa As Aventuras do Príncipe Achmed. Fora, é claro, as inúmeras homenagens e referências que encontramos por aí, como a animação d’O Conto dos Três Irmãos em Harry Potter e As Relíquias da Morte – Parte II, e a homenagem do Google em seu 117º aniversário.

E deixo aqui, com vocês, um dos meus curtas favoritos produzidos por ela, Däumelinchen (Polegarzinha. Alemão é uma língua tão desnecessariamente agressiva), para vocês terem um gostinho da graciosidade que são as animações dela.

Pel

Pel

Pel, 21 anos, nascida do ano novo. Autista, aspirante a artista e escritora, estudante de Cinema e Animação.
Pel

Últimos posts por Pel (exibir todos)

Comentários

comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *