Pesquisa para diagnóstico precoce do câncer de mama concorre a vaga em iniciativa de Harvard

O câncer de mama mata milhares de mulheres no Brasil, e a grande culpada é a demora para sua confirmação e tratamento. Se diagnosticado em estágio inicial, o câncer pode ser curado, do contrário, não recebendo o tratamento imediato, ele pode se alastrar para órgãos vitais como ossos, pulmão e fígado, levando à morte.
Diante da imensa demora que o diagnostico do câncer leva para receber confirmação, a brasileira Andresa Paixão realizou uma pesquisa para a utilização de uma técnica que visa detectar o câncer antes mesmo da formação do tumor.
A descoberta está concorrendo no Village to Raise a Child 2016, programa de empreendedorismo social da Harvard University. O programa seleciona cinco projetos do mundo todo, os mais votados passam de fase, podendo, assim, serem concretizados. Você pode votar para ajudar a Andresa (e com isso, milhares de pessoas) aqui: https://www.wishpond.com/lp/1696760/entries/112310456
Conversamos com a Andresa, para que ela pudesse falar melhor sobre seu projeto. Ela explicou que o projeto é um biomarcador. “O organismo da pessoa que está com câncer produz algumas substâncias e proteínas em reação ao desenvolvimento e presença do tumor. Dessa forma, a partir do momento em que houver quaisquer evidências da produção e/ou elevação dessas substâncias, o biomarcador detectará, e haverá a confirmação da enfermidade”.
Ela conta também que tais substâncias são encontradas facilmente na saliva e na urina, e que o tumor não precisa existir para detectá-las, bastando a produção das mesmas para o diagnóstico da doença. “Esse exame pode ser feito por qualquer mulher em qualquer idade. Estudei diversos tipos de biomateriais disponíveis para produção do biomarcador, mas para o desenvolvimento preciso conseguir apoio. E o concurso oferece as ferramentas para o desenvolvimento”.