Mulheres que representam!

   

Oi pessoal. Tudo bem com vocês? Querem que fique melhor? Então vieram ao lugar certo.
O post de hoje será um dos queridinhos dos fãs da representativa, pelo menos eu me senti super representada. Quem não se sentiria? Como lançamento da coluna “Mulheres que amamos”, trago para você uma lista com cinco lindas desse planeta que aproveitam seu tempo para melhorar nosso mundinho.
Sejam famosas ou não, essas manas possuem muito o que falar e fazer. Eu as tenho como algumas de minhas inspirações. Suas atitudes e escolhas de como se posicionar perante a sociedade servem para nos ensinar sobre lutas, sejam em âmbito pessoal e/ou através da união. As descrições que fiz sobre cada uma podem ser curtas, mas de forma alguma diminuem a grandeza de suas existências.
Vamos as apresentações?

  • Catharina Dória

    4-catharina-doria
    Fonte/Internet
    Catharina Doria é uma estudante que, com apenas 17 anos, decidiu trocar sua viagem de formatura para poder usar o dinheiro na criação de um novo aplicativo, chamado “Sai Pra Lá”. A intenção dele é mapear casos de assédios nas ruas. O app facilita a denúncia, divulga os lugares em que há esse tipo de ocorrência e intimida os agressores.
    • Amandla Stenberg

      Fonte/Time
      A atriz é inspiradora não só pelo trabalho que faz, como também por seu posicionamento contra o racismo na Internet, manifestando-se contra a apropriação cultural e o estereótipo da “mulher negra raivosa”. Nesse vídeo, MARAVILHOSO, podemos ver como o posicionamento da Amandla é importante nas lutas que ela representa. Ela também entrou para a lista dos “100 Adolescentes Mais Influentes do Ano” (de 2015) da Revista Time e está envolvida com a “Partilhe nossa Força”, organização que luta para acabar com a fome infantil nos Estados Unidos.
      • Kaol Porfírio

        Fonte/Twitter

         Kaol é ilustradora, desenvolvedora de jogos, gamer e criadora da maravilhosa série “Fight Like a Girl” (“Lute Como Uma Garota”), que destaca guerreiras inspiradoras de games, filmes, séries e também da vida real. A ideia até original uma coleção de camisetas que é vendida em parceria com a Toda Frida, pra você ajudar a passar a mensagem pra frente e mostrar que lutar como uma garota é motivo de orgulho!

        • Camila Pitanga

          Fonte/Internet
          A atriz brasileira foi a primeira personalidade das Américas a receber o título de embaixadora da ONU Mulheres. Ao entrar no site ONU Mulheres, encontramos as seguintes realizações dela: “diretora geral da ONG Movimento Humanos Direitos, onde se dedica contra o trabalho escravo, abusos contra crianças e adolescentes e na promoção de direitos de jovens negros, quilombolas, povos indígenas e meio ambiente; foi conselheira da WWF e apoiadora de campanhas da Anistia Internacional “Jovem Negro Vivo – #EuMeImporto”; do Greenpeace contra o desmatamento; do MhuD contra a prostituição infantil e contra a terceirização do trabalho”, e essas são só algumas de suas realizações. Que mulher!
          • Gabourey Sidibe

               
            Gabourey é uma atriz norte-americana que atua na serie “Empire”, onde protagonizou uma cena de sexo explícito ao lado do ator Mo McRae. Por causa disso, ela sofreu ataques nas redes sociais por conta de seu físico, negro e gordo. Ela não se abalou e ainda inspirou a hashtag #MyFatSexStory (Minha Grande História de Sexo, no trocadilho em inglês), onde usuárias e usuários reagiam contra a gordofobia.
            Ficaram fã que eu sei! Mas não acabou por aqui, eu trarei muitas outras mulheres para amarmos. Obviamente, como somos um blog que colabora e recebe colaborações, queremos que tragam suas inspirações aqui pra gente. Eu sempre fico feliz quando conheço mais ações representativas, o poder delas sempre nos trará mais e mais exemplos como os dessas mulheres.
            Espero que vocês gostem de ler tanto quando gostei de escrever e que o exemplo delas entre em seus corações e não sai mais!
            Alessandra Lamunier

            Alessandra Lamunier

            Absolutamente amadora. Se existir um meio termo entre saber ou não fazer algo, eu estou nele. Contudo, sou cheia de ideias(ais) e, sabendo ou não a melhor forma de me expressar, fico feliz eu transmiti-las a quem interessar.
            Alessandra Lamunier

            Últimos posts por Alessandra Lamunier (exibir todos)

            Comentários

            comentários

            4 comments

            1. Rafaela Arnoldi

              Alê, que maravilhosa e inspiradora esta coluna; aliás, vocês estão de parabéns por todo trabalho desenvolvido no Blog <3

              Responder

            2. Alessandra Lamunier

              Obrigada Rafa. É sempre bom saber que alcançamos pessoas especias com trabalho. <3

              Responder

            Deixe uma resposta

            O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *